1 de janeiro de 2013

Sobre a claridade

Luz da manhã


O dia está tão claro, meus olhos ardem e eu quase não posso ver. Quero deixá-los fechados, quero poder abri-los sem dor, quero voltar para a escuridão a qual estava acostumada. Quero a paz morna da noite fria. E a solidão serena que nina o meu espírito. Mas não importa, estou do lado de fora agora. Então eu sigo meu caminho, tropeçando em meus próprios pés.

Pessoas passam por mim e quando me notam, minhas mãos e braços a proteger meus olhos da claridade que cega, me olham torto. Cospem em mim a felicidade que sentem ao ver a luz da manhã. E se por azar esbarram em meu corpo, fogem como se tivessem tocado nas vestes de um homem doente. Ninguém gosta da escuridão que carrego na alma.

Penso que com o tempo, vou me acostumar a claridade. Eu sinto que não demorará muito e meus olhos passarão a aceitar a luz do dia. E é assim que acontece. Durante o tempo em que o sol realiza sua trajetória majestosa no céu, eu me acomodo a sua luz. E acredito ter me adaptado a essa nova existência.

Mas eu nunca me acostumarei. Todas as manhãs a cena se repete. O dia é sempre tão claro, meus olhos ardem e eu quase não posso ver. A luz não me faz bem, o calor não me faz bem, e eu mal consigo me manter de pé sem poder ver o que está a minha frente. Sem saber o que me espera.

E toda vez eu penso que é uma rachadura, mas é a beira do precipício. E toda vez eu tropeço, ao invés de cair eternamente em direção ao infinito. Eu nunca sei o que acontecerá até dar o próximo passo. E não gosto dessa insegurança. Muito menos do medo que ela me traz. Eu só quero voltar para a escuridão a qual estava acostumada. Para enfim, poder abrir os olhos.

17 comentários:

  1. Menina, vou te dizer que tava com saudade dos seus textos. SOBREtudo da tua forma de escrever, tão simples e ao mesmo tempo tão profunda. Voltei :) Um bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dinha! Que bom que voltou, era tão triste ver o Arcádia sozinho...

      Excluir
  2. É.. ser viciado na escuridão não deve ser nada fácil.. Mas todos temos nossos momentos de luz e sombra, né? Lindo texto!
    Obrigada pela visita! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que a questão não é ser viciado na escuridão, mas sim estar acostumado a ela. E realmente, todos nós temos nossos momentos de luz ou sombra, talvez alguns mais do que outros.

      Excluir
  3. Oi Éli-ponto, tudo bem aí?

    Menina, que texto intrigante esse... Eu não encarava a escuridão melhor que a claridade. Esse texto me fez pensar um pouco, hahahahahahaha. Textos assim é que são bons. Parabens!

    Deus abençoe seu ano novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fez algum pensar, eu fico feliz. Qual a graça de ler se a leitura não movimentar nossa mente ao menos um pouco?

      Beijo André!

      P.S.: Sempre rio do Éli-ponto hahaha

      Excluir
  4. Porque no escuro a gente se sente melhor, mais protegida. Certo?
    Adoro os seus textos. São metafóricos, dão asas a imaginação. Gosto muito!

    Um abraço. ;)

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, as vezes é mais confortável. Obrigada Erica.
      Beijos.

      Excluir
  5. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  6. Sou uma pessoa das sombras, creio que no escuro enxergamos as verdadeiras faces das pessoas e da vida. A claridade da qual as pessoas se gabam de ter não passa de uma ilusão. Tudo bem, viajei =P
    Ótimo texto
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viajou nada, pelo contrário! Muito interessante o que disse.
      Beijos.

      Excluir
  7. Você gosta de Edgar Allan Poe, Charles Baudelaire, essa galera introspectiva, né? Parece gostar, parece ser das minhas. ;) Bom texto!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto muito de Poe, ainda não li Baudelaire. E gosto sim, tanto de ler, quanto de escrever texto mais introspectivos.

      Excluir
  8. Olá, Mallu.
    Muito bom; seu texto me lembrou a Joicy Sorciére, que certa vez contou que toda vez que vê o Sol de manhã tem vontade de dizer "Morre, Diabo!".
    Nunca li Poe, mas gosto bastante de ler Lovecraft.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Abrir os olhos e ver a claridao nem sempre é bom por estarmos acostumados com a escuridao que é visualmente nos deslumbra e nos vicia. Lindo texto eu estava sentindo falta de ler seus textos por isso voltei.

    ResponderExcluir

Nada de jogar as suas opiniões pela janela!
Comentários são sempre bem vindos. Se expresse, mas seja respeitoso.

Beijo da garota que não defenestra ideias.